Weber e a Educação

Reflexões preliminares sobre Max Weber e a Educação realizadas na disciplina Ciências Sociais aplicadas à Educação em 2010 na Universidade Estadual de Campinas.

No que diz respeito a educação, Weber, não a abordou diretamente , ainda que esta faça parte de seu conjunto de obras, as reflexões de Weber acerca da educação se deram concomitantemente ao estudo geral da sociologia política. Para Weber, a concepção de educação esta atrelada a uma forma tipológica derivada dos tipos de dominação legítima, sendo importante observar que os tipos são instrumentos para compreender a realidade, não tratando-se portanto de “expressões da realidade” mas sim construções usadas na análise da realidade empírica, não se encontrando ou raramente se encontrando em tal realidade.
Na evolução histórica das sociedades humanas, Weber reconheceu a ocorrência sempre presente de lutas/disputas entre os indivíduos membros das sociedades estudadas, embates estes que podem ser entendidos, segundo Weber, como seleção social. A seleção é permanente nas sociedades e não existem meios de eliminá-la, a não ser teórica ou utopicamente. Assim como a seleção biológica, a seleção social acarreta a seleção de indivíduos detentores de determinadas qualidades pessoais, sendo o fator sorte elemento presente, tanto favoravelmente como prejudicialmente. Nesta dinâmica, a educação pode ser capaz de favorecer o indivíduo sob seleção social. Assim, para Weber a educação agirá como um processo amplo de socialização, sem que porém haja uma restrição da instrução à instituição escolar.
“É através do processo de socialização que os indivíduos são preparados para participar dos sistemas sociais a partir da compreensão dos símbolos, dos sistemas de idéias, da linguagem e das relações que constituem os referidos sistemas. Esses elementos são aceitos pelos indivíduos como sendo naturais” (JOHNSON, 1997 in. GONZALEZ, 2000)
Em Weber, cultura e educação servirão como mecanismos mantedores de uma situação de dominação – dominado. A sociedade capitalista moderna é caracterizada pela alta racionalização de todos seus aspectos, a educação entre eles.
Novamente, diferentemente de Durkheim e Marx, Weber persistiu em toda a sua obra numa visão pessimista da sociedade moderna e resignada em relação aos problemas desta, inclusive os de educação.

Ainda sobre educação, pensando em seus fins, em Os Letrados Chineses, Max Weber demonstra que na medida em que a sociedade se racionaliza, historicamente, a formação educacional torna-se um fator de estratificação social, um meio de distinção, de obtenção de honras, de poder e de dinheiro. A educação racionalizada passa a ser essencial ao Estado, pois para funcionar, o mesmo necessita de pressupostos responsáveis pela constituição do direito racional e da burocracia apoiada também em moldes racionais. Se na China antiga o exercício das funções não precisava de treinamento, com o capitalismo monopolista, o treinamento se torna essencial para o desempenho das funções. Quanto mais se acirra a concorrência, maior a necessidade de treinar pessoas para o desempenho das funções. O avanço do capitalismo e do Estado implica na transformação radical da sociedade, impondo a construção de um novo tipo de homem, um homem que vá além dos princípios da dominação carismática e se submeta aos primórdios da dominação racional.
A educação toma um sentido diferente das sociedades antigas, pois passa a treinar em vez de cultivar o intelecto: As instituições educacionais do continente europeu, especialmente as de instrução superior – as universidades,bem como as academias técnicas,escolar de comércio, ginásios e outras escolas de ensino médio – são dominadas e influenciadas pela necessidade de tipo de “educação” que produz um sistema de exames especiais e a especialização que é cada vez mais, indispensável á burocracia moderna.”(WEBER,2002b, p 277.) Se compararmos com outras formas de dominação, vamos perceber que o prestígio social, em virtude do desfrute de determinada educação e formação não é, por si mesmo, algo específico do burocratismo. A finalidade da educação atual está voltada para as funções a serem exercidas na sociedade, ou seja, para as utilidades da formação educacional e do diploma, já as finalidade das estruturas sociais anteriores baseiam-se em fundamentos distintos, já que apesar destes relacionarem-se com a obtenção de privilégios ou de mudança social não enfocavam a especialização e a técnica. “Tanto na formação helênica quanto na medieval e na chinesa, elementos totalmente distintos dos „úteis‟ para determinada especialidade constituíam o centro da educação” (WEBER, 1999, p 232.)

Referências

WEBER, Max. “A Racionalização da Educação e treinamento”. In: Ensaios de
Sociologia. 5.ª ed. Rio de Janeiro, LTC Editora S.A., 2002b.
GONZALEZ, Wânia R. C. Educação e desencantamento do mundo: contribuições de Max
Weber para a Sociologia da Educação. 2000, 335 f. Tese (Doutorado em Educação) –
Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

About these ads



    Deixe uma resposta

    Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

    Logotipo do WordPress.com

    Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

    Imagem do Twitter

    Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

    Foto do Facebook

    Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

    Foto do Google+

    Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

    Conectando a %s



Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 31 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: